2D Controle de Benefícios Identificação de Clientes Localização de Criminosos Reconhecimento Facial Segurança Pública Validação de Clientes 

Ônibus de SP terão catraca com câmera para flagrar fraude no transporte

 

Os ônibus de São Paulo ganharão, até o começo do ano que vem, novas catracas equipadas com câmeras que vão flagrar quem usar de forma indevida os cartões que dão desconto na passagem.

O objetivo é combater fraudes no benefício do Bilhete Único de idosos e deficientes, que não pagam tarifa, e de estudantes, que pagam meia. Estes usuários representam 8% e 9% do total de passageiros, respectivamente.

O uso indevido desses cartões por terceiros —como um jovem que usa o bilhete do avô, por exemplo— configura crime.

A câmera vai tirar quatro fotos do passageiro cada vez que um cartão desses for usado. As imagens serão enviadas para um servidor, e um programa de reconhecimento facial vai compará-las com a foto do titular do cartão previamente cadastrada.

Quando o programa detectar diferença, um funcionário vai analisar o caso e, se a fraude for constatada, o cartão será bloqueado pela prefeitura e o usuário será chamado para esclarecimentos.

A prefeitura diz que não será necessário recadastrar os usuários, pois as fotos existentes são suficientes.

Outra mudança é que não será mais preciso que o cobrador valide cada uso dos cartões especiais, exigência que triplica o tempo de embarque.

“Aumenta o conforto para quem joga limpo e é eficaz contra quem joga sujo”, diz Adauto Farias, diretor de gestão da SPTrans (empresa da prefeitura que gerencia o transporte).

O sistema, já presente em cidades de pelo menos 10 Estados, só vai funcionar a partir da instalação dos novos validadores, os aparelhos que controlam a catraca.

CONTRATOS

A compra dos aparelhos foi uma exigência da gestão Fernando Haddad (PT) na renovação dos contratos com as empresas e cooperativas de ônibus, na semana passada.

Os contratos venceram em julho de 2013. Haddad chegou a abrir uma licitação, mas cancelou a concorrência em meio a pressão de empresários e da onda de protestos.

Para evitar a falta de ônibus nas ruas, foram assinados aditivos, com duração de um ano. A expectativa era lançar a licitação antes do vencimento dos contratos, mas a gestão esperava ter em mãos, para basear a nova concorrência, o resultado de uma auditoria nas contas do transporte feita pela consultoria Ernst & Young.

Como a auditoria atrasou —a previsão é que seja concluída em outubro—, foi preciso assinar novos aditivos por mais um ano. Esses contratos exigem que as empresas instalem as novas catracas até o fim de janeiro. O custo para equipar os 14,7 mil ônibus da frota será de cerca de R$ 74 milhões.

A SPTrans diz não ter estimativa de quantas fraudes são praticadas atualmente —fabricantes de validadores falam em 25% dos casos. Mas afirma que se as câmeras reduzirem a evasão causada por fraudes em 3%, a arrecadação com tarifas aumentaria R$ 2 milhões por mês —valor suficiente para compensar o investimento.

Segundo Farias, os benefícios tarifários representam pouco mais da metade do subsídio ao sistema de ônibus municipal, bancado pela prefeitura. A remuneração das empresas é independente da cobrança da passagem, pois elas recebem por passageiro transportando.

Em 2013, o subsídio chegou a R$ 1,3 bilhão, aumento de 27% em relação ao ano anterior. Com o congelamento da tarifa e a redução de idade do bilhete de idosos, a estimativa é que neste ano o valor chegue a R$ 1,7 bilhão.

RECARGA

Os novos validadores também permitirão que as recargas do Bilhete Único sejam feitas dentro dos ônibus a partir de meados de abril de 2015.

A recarga é o procedimento em que o cartão recebe os créditos já comprados pelo usuário ou pelas empresas, no caso do vale-transporte. Hoje é necessário ir a pontos de recarga, geralmente localizados dentro de terminais.

Com a mudança, cada ônibus terá este serviço, o que vai facilitar a vida principalmente de moradores da periferia.

A recarga não envolve dinheiro —a compra de créditos continuará sendo feita da mesma forma.

O novo formato também vai aumentar a segurança. Hoje, a SPTrans atualiza a lista de bilhetes que são bloqueados por roubo ou mau uso, por exemplo, uma vez ao dia. O servidor comporta até 10 mil números, mas agora a atualização será em tempo real e a lista poderá ter até 700 mil cartões.

Os novos validadores também permitirão a instalação de outros aparelhos nos ônibus, cujos testes foram revelados pela Folha. Entre eles estão alto-falantes que informam as paradas, câmeras que multam invasão a faixas exclusivas, contadores de passageiros e internet wi-fi.

Segundo a prefeitura, o cronograma de instalação destes equipamentos será definido no ano que vem.

Share

Related posts